2005

HISTÓRIA brasileira da infâmia  Parte um. Direção e roteiro: Werner Salles Bagetti. Edição: Charles Northrup. Co-produção: Núcleo Zero, Staff, IZP e Tv Cultura. Realização: DOCTV, Ministério da Cultura, TV Cultura, Abepec, Secretaria do Audiovisual. 2005. Média-metragem (55min), documentário, Betacam.
Sinopse: Em 1556, a nau Nossa Senhora da Ajuda naufragou em território alagoano. Entre os 90 sobreviventes estava o 1º bispo do Brasil, Dom Pero Fernandes Sardinha, que foi recepcionado pelos nativos habitantes da região, os temíveis Caétes. Segundo alguns relatos, todos os tripulantes foram mortos e devorados num histórico banquete antropofágico, iniciando uma guerra davastadora da Coroa Portuguesa contra os índios do litoral brasileiro, conhecida como a “Guerra Justa”. O documentário tenta navegar nas contradições e revisões históricas deste episódio, confrontando opiniões de historiadores, padres, populares, analisando documentos, cartas e personagens da época.
O documentário traça um paralelo entre o século XVI e os dias de hoje, na tentativa de achar novas possibilidades para compreensão da história do Brasil, uma história escrita com sangue, marcada pela corrupção e a infâmia.
Observações:
Ficha técnica complementar:
Elenco: Pedro Ramos, Erisvaldo Lins, Isaias Francisco da Silva, Elvis Vicente, Augusto Simas, Talisson Carlos dos Santos, Grupo indígena Dzuucua da Aldeia Kariri Xocó, Maria Pastora de Oliveira, Márcia Danielli, Ariana Gomes Leite, Lima Neto, Edner Cavalcante Pimentel, Ivanildo Antônio (Profº Besourão), Bendito Moura Neto, Fernando Tiago dos Santos, Williams da Silva Nascimento, Edu Passos, Nilton Resende.
Produção executiva: Durval Leal Filho.
Direção de fotografia: Roberto Iuri.
Direção de arte: Weber Salles Bagetti.
Captação de som direto: Osman Assis.
1ª assistência de produção: Cila Rocha.
2ª assistência de produção: Luana Brenand Medeiros.
Assistência de direção: Lula Castelo Branco.
1ª assitência de câmera: Alex Meira.
1º produtor de elenco: Lael Correia.
2º produtor de elenco: Glauber Xavier.
Maquiagem e caracterização: José Accioly Filho.
Cenografia e Figurino: Alex Lima.
Trilha sonora original
Direção Musical: Lelo Macena.
Músicos: Aldo Gonzaga, Railton Sarmento, China, Yuri Christopher e Josélho Rocha. Grupo da Terceira idade  Marechal Deodoro.
Confecção de figurino: Roberto Gomes.
Confecção de adereços: Aquiles Ecobar.
Cabelos: Alice Gomes Bittencourt.
Fotos Still: Tato Sales.
Assistentes de produção: João Rodrigo, Euclides José, Fernando Coimbra, Robinson Feitosa, Elibelton Silva de Andrade Peixe.
Dado adicional:
Documentário selecionado no 2º DOC TV /AL
BORBOLETAS. Roteiro e direção: Vicentina Dalva Lyra de Castro. Produção: Vicentina Dalva Lyra de Castro, Linete Matias, Jasiel Martins, Michele de Castro, Jessica Reis, Arilene de Castro, Rejane Severo e Rainel Fontes. Imagens: Onilson Pires. Edição: Anderson Augusto. Piaçabuçu-AL. 2005. Curta (11min 57s) sonoro, documentário.
Sinopse: A vida segue seu rumo às margens do Rio São Francisco: um menino observa os trabalhadores e as máquinas estão em ação, cortando madeira e construindo os tradicionais barcos com velas coloridas em forma de borboleta.
Observações:
História selecionada pelo projeto Revelando os Brasis, ano I.
Revelando os Brasis
CADÊ Calabar?. Roteiro e direção: Joaquim Alves de Oliveira Neto. Produção: Jomani, Rainel Dantas e Joaquim Alves de Oliveira Neto. Imagens: Onilson Pires. Som: Rainel Dantas. Edição: Anderson Augusto. Elenco: Régis de Souza, Antonio Freire, Pastora Oliveira, Madalena Oliveira. Japaratinga-AL. 2005. Curta-metragem (12min 41s), documentário.
Sinopse: Um resgate da história de Domingos Fernandes Calabar, que tomou o partido dos holandeses durante as sangrentas batalhas entre portugueses e invasores no Brasil Colonial. Preso, Calabar foi torturado, morto e esquartejado, e o povo foi proibido de tocar em seu nome. Hoje, poucos conhecem sua história na região de Japaratinga, palco das lutas de que ele participou.
Observações:
História selecionada pelo projeto Revelando os Brasis, ano I.
Revelando os Brasis
NELSON: Noslen. Direção e roteiro: Thalles Gomes. Produção: Carolina Albuquerque. Fotografia: Carlos Tourinho. Edição: Charles Northrup. Pós-produção e finalização: Staff Vídeo. Elenco: Elói Borges, Fabio Pereira dos Santos, Maria Pastora dos Santos, Nivaldo Bastos, Mary. Capela-AL. 2005. Curta-metragem (15min 39s), sonoro, ficção, Vídeo digital.
Sinopse: Depois de assistir ao assassinato do pai, Nelson acompanha a sua última procissão em Capela. Resta a ele juntar-se à multidão e fazer mais um pedido à santa.
Observações:
Ficha técnica complementar:
Assistente de Direção: Eduardo Bahia.
Assistente de Fotografia: Sérgio Ribeiro.
Som direto: Pastor Tsapa.
Cenografia: Railton Sarmento.
Trilha Sonora: Juquinha e Pastor Tsapa.
Poemas: Nivaldo Bastos e Patativa do Assaré.
Observações:
História selecionada pelo projeto Revelando os Brasis, ano I.

DOCTV

HISTÓRIA brasileira da infâmia Parte um. Direção e roteiro: Werner Salles Bagetti. Edição: Charles Northrup. Co-produção: Núcleo Zero, Staff, IZP e Tv Cultura. Realização: DOCTV, Ministério da Cultura, TV Cultura, Abepec, Secretaria do Audiovisual. 2005. Média-metragem (55min), documentário, Betacam.

 

SINOPSE

Vencedor do edital DocTV, o documentário propõe uma reflexão sobre a escrita da história ao defrontar versões para a morte do 1º Bispo do Brasil, Dom Pedro Fernandes Sardinha, ocorrida há mais de 450 anos.  Segundo a história brasileira, o Bispo, e outros 90 integrantes de sua comitiva, teriam sido devorados por índios Caetés, num ritual antropofágico, após um naufrágio no litoral nordeste brasileiro. A história é submetida à revisão a partir de contraditórias versões oferecidas por historiadores, antropólogos e padres, que ora ratificam a “versão oficial”, ora sugerem uma conspiração da fidalguia portuguesa que governava a Colônia.

 

OUTRAS INFORMAÇÕES

Documentário selecionado no 2º DOC TV /AL

———————————————————–

REVELANDO OS BRASIS

Três histórias/roteiros alagoanos foram selecionadas pelo projeto Revelando os Brasis, ano I.

BORBOLETAS. Roteiro e direção: Vicentina Dalva Lyra de Castro. Produção: Vicentina Dalva Lyra de Castro, Linete Matias, Jasiel Martins, Michele de Castro, Jessica Reis, Arilene de Castro, Rejane Severo e Rainel Fontes. Imagens: Onilson Pires. Edição: Anderson Augusto. Piaçabuçu-AL. 2005. Curta (11min 57s) sonoro, documentário.

SINOPSE

A vida segue seu rumo às margens do Rio São Francisco: um menino observa os trabalhadores e as máquinas estão em ação, cortando madeira e construindo os tradicionais barcos com velas coloridas em forma de borboleta.

———————————————————————————-

CADÊ Calabar? Roteiro e direção: Joaquim Alves de Oliveira Neto. Produção: Jomani, Rainel Dantas e Joaquim Alves de Oliveira Neto. Imagens: Onilson Pires. Som: Rainel Dantas. Edição: Anderson Augusto. Elenco: Régis de Souza, Antonio Freire, Pastora Oliveira, Madalena Oliveira. Japaratinga-AL. 2005. Curta-metragem (12min 41s), documentário.

SINOPSE

Um resgate da história de Domingos Fernandes Calabar, que tomou o partido dos holandeses durante as sangrentas batalhas entre portugueses e invasores no Brasil Colonial. Preso, Calabar foi torturado, morto e esquartejado, e o povo foi proibido de tocar em seu nome. Hoje, poucos conhecem sua história na região de Japaratinga, palco das lutas de que ele participou.

——————————————————————————–

NELSON Noslen. Direção e roteiro: Thalles Gomes. Produção: Carolina Albuquerque. Fotografia: Carlos Tourinho. Edição: Charles Northrup. Pós-produção e finalização: Staff Vídeo. Elenco: Elói Borges, Fabio Pereira dos Santos, Maria Pastora dos Santos, Nivaldo Bastos, Mary. Capela-AL. 2005. Curta-metragem (15min 39s), sonoro, ficção, Vídeo digital.

SINOPSE

Depois de assistir ao assassinato do pai, Nelson acompanha a sua última procissão em Capela. Resta a ele juntar-se à multidão e fazer mais um pedido à santa.

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será divulgado


*