2014

Prêmio de Incentivo a Produção Audiovisual em Alagoas

Na terceira edição, o edital foi lançado em 2013, após atraso na liberação do prêmio, os filmes foram lançados em dezembro de 2014, foram contemplados cinco filmes com o valor de 30 mil reais.

Guerreiros, de Arilene Castro.

SINOPSE

Era comum ver grupos de Guerreiro levando alegria pelos interiores de Alagoas. Hoje, esta tradição sobrevive apenas em dois grupos, ambos descendentes do Mestre Nivaldo Abdias Bonfim. Antes de morrer ele pediu para sua família que não deixasse o guerreiro Campeão do Trenado se acabar. Na noite de natal, eles saem peregrinando pelo Sertão Alagoano, sem rota programada, sem saber onde irão se arranchar, se serão contratados, se terão dinheiro suficiente para os mantimentos ou quando e como voltarão para casa.

Relicários de Zumba, de Vera Lúcia da Silva Oliveira

SINOPSE

Abdicando de assimilar as fantasias de um mundo imaginário, o pintor José Zumba (1920-1996) buscou nos cenários naturais e nos referenciais da cultura negra em Alagoas a inspiração para construir uma obra que hoje se destaca como um precioso registro – quase um relicário – da caminhada dos negros e mestiços alagoanos diante do processo histórico de exclusão a que tem sido submetidos.

Noturna, de Nivaldo Vasconcelos

SINOPSE

“Era uma vez, não muito longe daqui, uma menina que vivia esperando pela noite, a única hora em que seu corpo podia pertencer a algum lugar.”

Dialetos, de Weber Salles Bagetti

SINOPSE

Uma narrativa lírica que se impõe através de um  fluxo de signos e imagens que representam o estado de uma alma inquieta. Memória, pensamento, matéria e espírito, começos e fins, eternos recomeços.

Atirou para Matar, de Nuno Balducci

SINOPSE
Sete pessoas se envolvem de diferentes formas em um crime de pistolagem: Uma funcionária de uma pastelaria, um matador de aluguel, dois policiais, uma garçonete, um moto taxista e um jornalista.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será divulgado


*