Ernani Viana indica

A nova publicação da nossa série de curadorias mostra a seleção de produções audiovisuais feita pelo turismólogo, produtor cultural e cineclubista Ernani Vianna*. Sua curadoria é formada por produções que têm temas de grande relevância política, social e cultural. Confira:

A Bota Velha é Nossa – Documentário de Carlos Lima e Daniel Felipe Quaresma Santos que aborda a luta e resistência no Acampamento Bota Velha localizado no município de Murici, zona da mata alagoana, que é acompanhado pela CPT desde 2002.

Bobos de Tatuamunha – Apresenta a construção do artista popular Gilberto da Silva, um dos poucos conhecedores da técnica de confecção das máscaras artesanais pelo olhar de Celso Brandão.

Memórias de um Herói de Carnaval  Produzido a partir de um depoimento de Pedro Tarzan (Pedro Ferreira Auta), uma das mais importantes e reconhecidas figuras dos carnavais de rua de Maceió, entre os anos de 1950 e 1980 do século passado, com direção de Pedro da Rocha.

Em nome do pai do filho e da folia  Pedro da Rocha apresenta o babalorixá, padre, fogueteiro e mestre de folguedos de Quebrangulo (AL), Manuel Soares de Melo – Mestre Zome – falecido em 1994.

Carnaval Temperatura  Registro de Pedro da Rocha sobre a obra do maestro de frevos arapiraquense Jovelino Lima, que lançou 8 LP’s de frevos e animou, com sua orquestra, a maioria dos bailes carnavalescos de Maceió na década de 1970.

Miss  – Em Alagoas, uma passeata de uma pessoa só atravessa uma mesa e o imaginário das pessoas, por Alice Jardim e Lis Paim (Tela Tudo).

Mamãe Yes  Documentário de Vera Rocha Oliveira que retrata a trajetória do tradicional bloco de carnaval alagoano Filhinhos da Mamãe.

A Ultima Feira  – Registro do último dia da tradicional feira no Centro da cidade de Arapiraca por Hermano Figueiredo.

Dialetos   Uma narrativa lírica que se impõe através de um  fluxo de signos e imagens que representam o estado de uma alma inquieta, criado por Weber Salles.

Casamento é Negócio? – Guilherme Rogato, pioneiro do cinema alagoano, apresenta em sua primeira ficção a disputada entre um rapaz rico e outro simples (que sonha em enriquecer através da descoberta de petróleo) para conquistar uma moça.

De acordo com Ernani, essa seleção se justifica pela importância dos seus temas: a distribuição da terra, as bases para construção de um carnaval Maceioense, as problemáticas do cidadão contemporâneo (dialetos ), os artistas populares e a historiografia do cinema alagoano.

*Ernani Viana da Silva Neto, nascido no Recife em 15 de agosto de 1980, sendo criado e, entre muitas viagens, crescido em Maceió – AL. É graduado em Turismo e Lazer pelo IFAL – Instituto Federal de Educação Tecnológica (2004) e Mestre em Turismo e Hospitalidade pela UCS – Universidade de Caxias do Sul (2014). É Professor de Turismo, Cultura e Produção Cultural, Produtor Cultural, criador do Projeto “Filme de Quinta” (2011), sócio fundador do Maracatu Baque Alagoano (2007), sócio fundador do Coletivo AfroCaeté (2009). Idealizador e proponente, junto com o Profº Edson Bezerra, do processo de patrimonizalização do Sururu enquanto bem de natureza imaterial do estado de Alagoas. (2014). Em Caxias do Sul – RS é membro da CASF – Comissão de Avaliação, Seleção e Fiscalização – de Cinema e Vídeo do FINANCIARTE – Financiamento da Arte e Cultura Caxiense – desde 2013, e do Maracatu Baque dos Bugres desde 2015.

Gostou da curadoria de Ernani Viana? Clique aqui e veja outras.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será divulgado


*