III Mostra Sururu de Cinema Alagoano (2012)

A terceira edição da Mostra Sururu de Cinema Alagoano foi realizada entre 25 e 27 de outubro de 2012 no Centro Cultural SESI.

 

SELECIONADOS

A Banca, de Aloísio Leahy. 2012, 15 min, Ficção
Barro do Muquém, de Alice Jardim. 06min 30 seg, Documentário
Borboletas Delicadas, de Wladymir Lima. 05 min, Experimental
Do Barro à Louça, de Alice Jardim. 06 min 30 seg, Documentário
12:40, de Dário Junior. 2012, 13 min 25 seg, Ficção
Exu – Além do bem e do mal, de Werner Salles Bagetti. 2012, 20 min, Documentário
Farpa, de Henrique Oliveira. 2012, 20 min, Ficção
Fênix, de Anderson Barbosa. 2012, 19 min, Ficção
Interiores ou 400 anos de Solidão, de Werner Salles Bagetti. 2012, 30 min, Documentário
Memórias de uma Saga Caeté, de Pedro da Rocha. 2012, 20 min, Documentário
O que Lembro, Tenho, de Rafhael Barbosa. 2012, 19 min, Ficção
Rainha, Direção coletiva. 2011, 20 min, Documentário
Sobre Relógios, Sonhos e Liberdade, de Ailton da Costa. 2012, 16 min, Ficção
Todavia, de Alice Jardim. 2m22s, Experimental
Um Filme que Passou em Minha Vida, de Luciana Fonseca Oliveira. 30 min, Documentário
Um Mal Chamado Arte, de Mario Zeymison. 05 min, Experimental


JÚRI

Camilo Cavalcante (cineasta pernambucano)

Jaime Lerner (diretor de fotografia e presidente da ABD&C)

Antonio Leal (o produtor carioca e vice-presidente do Fórum dos Festivais)

Marco Aurélio Lopes Fialho (Assessor Técnico em Cinema do Departamento Nacional do SESC)


PREMIAÇÃO

MENÇÃO HONROSA para Todavia, de Alice Jardim
MELHOR CURTA-METRAGEM DE FICÇÃO para O que Lembro, Tenho, de Rafhael Barbosa
MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO para Interiores ou 400 Anos de Solidão, de Werner Salles Bagetti
MELHOR DIREÇÃO para Rafhael Barbosa, por O que Lembro, Tenho
MELHOR ROTEIRO para Rafhael Barbosa, por O que Lembro, Tenho
MELHOR MONTAGEM para Werner Salles Bagetti, por Interiores ou 400 Anos de Solidão
MELHOR FOTOGRAFIA para Michel Rios, por Exu – Além do Bem e do Mal
MELHOR SOM para Pedro Octávio Brandão, por O que Lembro, Tenho
MELHOR TRILHA SONORA para Nando Magalhães, por O que Lembro, Tenho
MELHOR DIREÇÃO DE ARTE para Gabriela Miranda, por Farpa
MELHOR ATOR para Julien Costa, por Farpa
MELHOR ATRIZ para Anita das Neves, por O que Lembro, Tenho