V Mostra Sururu de Cinema Alagoano (2014)

A quinta edição da Mostra Sururu de Cinema Alagoano foi realizada entre 11 e 14 de dezembro de 2014 com exibição dos filmes selecionados e atividades formativas no Centro Cultural Arte Pajuçara.

 

SELECIONADOS

Metafilmagem, de Coletivo Profanarte. 2014, 11 min, Experimental
Sinopse, de Wladymir Lima. 2014, 6 min, Ficção
Escavacados, Direção Coletiva. 2014, 5 min, Documentário
Fim da Linha, de Charles Northrup. 2013, 11 min, Documentário
Aplausos, de Alice Jardim. 2014, 1 min, outro/poema audiovisual
Um Quarto da Vida, de Victor Lima e Vítor Beltrão. 2014, 11 min, Ficção
Fofoca, de Bruno Lopes e Canel Júnior. 2014, 4 min, Ficção
Nelson dos Santos, de Albert Ferreira e Paulo Silver. 2014, 19 min, Documentário
Cria de Ninguém, de Amanda Duarte. 2014, 5 min, Documentário
Liberem a Maria Juana, de Fabiano Amorim. 2014, 16 min, Documentário
Três Mercados, de Carlos Augusto e Janderson Felipe. 2014, 8 min, Documentário
Não Olhe, Veja Bem, de José Soares. 2014, 4 min, outro/poema audiovisual
Entre Céus, de Alice Jardim. 2014, 12 min, Documentário
A Grama Mais Verde, de Reuel Albuquerque e Wagner Sampaio. 2014, 18 min, Ficção
Águas no Muquém – sobreviventes de uma enchente, Direção Coletiva. 2013, 24 min, Documentário
Diluída, de Alice Jardim. 2013, 2 min, Experimental
Geração Z Rural, de Mel Vasconcelos. 2013, 15 min, Documentário
A Gente Não Combina com Essa Sala, de Nivaldo Vasconcelos. 2014, 11 min, Ficção
Dezembro, de Dario Junior. 2014, 18 min, Ficção
Ela, de Nivaldo Vasconcelos. 2014, 8 min, Experimental
Atirou Para Matar, de Nuno Balducci. 2014, 15 min, Ficção
Noturna, de Nivaldo Vasconcelos. 2014, 16 min, Ficção
Dialetos, de Weber Salles. 2014, animação, 15 min
Guerreiros, de Arilene de Castro. 2014, 20 min, Documentário

Hors concours

Valleria Brasil, de Almir Guilhermino. 2014, 13 min, Documentário
Mais Que Traços e Cores – Em Memória de Roberto Ataíde, de Claudio Manoel Duarte de Souza. 2014, 24 min, Documentário


JÚRI
Sérgio Alpendre é crítico de cinema, professor, pesquisador e jornalista. Colaborador da Folha de S.Paulo desde 2008. Mestre em Meios e Processos Audiovisuais pela ECA – USP. Coordenador do Núcleo de História e Crítica da Escola Inspiratorium. Oficineiro do programa Pontos MIS. Curador do FICBIC – Festival Internacional de Cinema da Bienal de Curitiba. Edita a Revista Interlúdio (www.revistainterludio.com.br) e o blog Chip Hazard (chiphazard.zip.net). Fundou e editou a Revista Paisà, publicação impressa sobre cinema (2005-2008). Foi redator fixo da Contracampo (revista eletrônica de crítca de cinema (2000-2010). Foi curador das mostras Retrospectiva do Cinema Paulista e Tarkovski e seus Herdeiros, editando também os catálogos de tais mostras. Participa de seleções e júris em festivais de cinema, além de ministrar cursos de história do cinema e oficinas de crítica por todo o Brasil.

João Maria (PE) é graduado  em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE; Fotografia e Super 8 com o cineasta Firmo Neto. Casa da; Curso Kodak de Fotografia 35mm. Museu da Imagem e do Som de Pernambuco. Recife; Pratique du Montage Virtuel Sur AVID FILM COMPOSER (Niveau 1 et 2) Gobelins; L’ École de L’ Image. Paris; Aspects Artistiques du montage (Niveau 1 et 2). INA; Institut National de L’Audiovisuel. Paris; Monter un Documentaire. INA; Institut National de L’Audiovisuel. Paris. Trabalhou como Montador e Assistente de Direção em filmes como:  O Melhor Amigo. Ficção. 35mm. 2013 – Faço de Mim O Que Quero. Documentário. 35mm. 2010 – Superbarroco. Ficção. 35mm. 2009 – A Vida é Curta. Ficção. 35mm. 2007.

Andy Malafaia (RJ) é graduado em Cinema pela Universidade Federal Fluminense. Dirigiu os curtas-metragens Palhaços, Ventos do Açu e Eu Queria Ser Arrebatada, Amordaçada e, nas minhas Costas, Tatuada, este último em pós-produção. Está em desenvolvimento do seu primeiro longa-metragem, Mesopotâmia. Desde 2013 é coordenador da programação nacional do Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro – Curta Cinema. Também atua como crítico de cinema, tendo colaborado em veículos como o Cineplayers e a Revista Interlúdio. Paralelamente ao cinema tem atuação voltada para os Direitos Humanos, e atualmente coordena um programa de combate à homofobia no Estado do Rio de Janeiro.


PREMIAÇÃO
PRÊMIO ALGÁS DE MELHOR CURTA-METRAGEM DE FICÇÃO para Atirou para Matar, de Nuno Balducci

PRÊMIO ALGÁS DE MELHOR CURTA-METRAGEM EM DOCUMENTAL para Entre Céus, de Alice Jardim

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI para Nelson dos Santos, de Albert Ferreira e Paulo Silver

MENÇÃO HONROSA para Geração Z Rural, de Mel Vasconcelos

MELHOR FOTOGRAFIA para Alice Jardim, por Entre Céus

MELHOR ROTEIRO para Nuno Balducci, por Atirou para Matar

MELHOR DIREÇÃO para Nuno Balducci, por Atirou para Matar

MELHOR ATOR para Bruno Alves, por A Gente Não Combina com essa Sala

MELHOR ATRIZ para Lorena Barbosa, por Noturna

MELHOR TRILHA SONORA para Weber Salles Bagetti, por Dialetos

MELHOR MONTAGEM para Alice Jardim e Nivaldo Vasconcelos, por Entre Céus

MELHOR DESENHO DE SOM para Solon Ferreira, por Fim da Linha

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE para Thauana Ferreira e Nivaldo Vasconcelos, por A Gente Não Combina com Essa Sala

MELHOR PLANO CINEMATOGRÁFICO para o conjunto de planos de Nelson dos Santos

PRÊMIO SESC DO JÚRI POPULAR Guerreiros, de Arilene de Castro

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será divulgado


*