VI Mostra Sururu de Cinema Alagoano (2015)

A sexta edição da Mostra Sururu de Cinema Alagoano foi realizada entre 17 e 20 de dezembro de 2015 com exibição dos filmes selecionados e atividades formativas no Centro Cultural Arte Pajuçara.

Abrace a Garça, de Peixes Dias, doc, 6min55s
Bumba Meu Jaraguá, de Direção Coletiva, doc, 9min
Cidade Líquida, de Laís Araújo, doc, 12min 27seg
Em Silêncio, de Dário Jr., fic, 4min37s
Eu Etiqueta, de Alex Walker, exp, 2min30s
Fukushima Hoax, de Wladymir Lima, exp, 2min40s
Jayme Miranda, Direção Coletiva, doc, 5min
Liberdade, Liberdade em Maceió, de Fabiana de Paula e Wladymir Lima, doc, 10min43s
Há Algo de Errado no Paraíso, de Matheus Nobre, doc, 8min,47s
Maria da Chica, Direção Coletiva, doc, 5m,14s
Monique, de Wladymir Lima, fic, 26min
Monstro Que Nada, Direção coletiva, doc, 12min
Para Ouvir, de Renata Baracho, fic, 14min5s
Paralelo, de Débora Dias, Helio Melo, Lucas Eduardo e Raphael Augusto, fic, 8m48
Queimado, de Wladymir Lima,doc,3min
Quem tem juízo resiste e luta, de Marcos Ribeiro Mesquita e Simone Maria Huning, doc, 22min
Retina, de Paulo Silver, doc, 13min30s
Ruan, de Felipe Herrmann,fic, 7min14s
Sandrinho: o culpado de todos os crimes, de Manuela Felix, doc, 15min03s
Toróró, de Celso Brandão, doc, 16min04s

FILMES CONVIDADOS:

Jangada de Pau, de Rafhael Barbosa, doc, 30min
Relicários de Zumba, de Vera Rocha, doc, 24min
Horas Vagas, de Celso Brandão, doc, 10 min


 

JÚRI

Érica Lima é Mestre em Gestão de processos Institucionais – MPGPI UFRN .Especialista em Gestão Cultural – Universidade Federal Rural de Pernambuco/Fundação Joaquim Nabuco/ Ministério da Cultura. Bacharel em Comunicação Social Jornalismo e Radialismo (Rádio e TV) pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Diretora de produção na TVU/RN. Apresentadora do programa Olhar Independente (TVU/RN). Produtora cultural e realizadora no coletivo Caminhos, Comunicação & Cultura.

Nara Normande é realizadora. Nasceu em Maceió/AL e desde 2000 reside em Recife/PE, onde fundou a produtora Garça Torta Filmes. Ganhou mais de 20 prêmios com seu primeiro filme, a animação em stop motion DIA ESTRELADO (2011/17min). Seu segundo filme, SEM CORAÇÃO (2014/ 25min), co­dirigido por Tião, foi premiado com o Prix Illy du Court Métrage na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes, com o Prêmio Coral no Festival de Havana, com os candangos de Melhor Filme, Direção e Montagem no Festival de Brasília. De 2010 a 2014, foi diretora artística e curadora do ANIMAGE ­ Festival Internacional de Animação de Pernambuco. Está na finalização de seu terceiro curta­metragem, GUAXUMA, com lançamento previsto para 2016.

André Elias Dib é pesquisador, crítico de cinema e jornalista formado pela Universidade Federal de Pernambuco. Há dez anos realiza coberturas de festivais brasileiros e estrangeiros, com textos publicados em jornais, revistas e internet, reunidos em www.revistacinerama.com. Curador dos festivais Animacine, VerOuvindo e Mostra Canavial. Membro da diretoria da Associação Brasileira dos Críticos de Cinema (Abraccine) e do Congresso Brasileiro de Cinema (CBC).


PREMIAÇÃO

PRÊMIO ALGÁS DE MELHOR CURTA-METRAGEM para Cidade Líquida, de Laís Araújo

PRÊMIO SESC DO JÚRI POPULAR Tororó, de Celso Brandão

MELHOR DIREÇÃO para Celso Brandão, por Tororó

MELHOR FOTOGRAFIA para Paulo Silver, por Retina

MELHOR PERSONAGEM para Tororó

MELHOR MONTAGEM para Paulo Silver, por Retina

MELHOR ROTEIRO para Paula Félix, por Tororó

MELHOR TRILHA SONORA para Gudeco, por Cidade Líquida

MELHOR DESENHO DE SOM para Emmanuel Miranda e Paulo Silver, por Retina