Fases da Produção Audiovisual Alagoana

Em Alagoas falar da História do Cinema restringiu-se tradicionalmente aos filmes estrangeiros ou poucos filmes nacionais exibidos nas salas de cine-teatros, mais tarde salas de cinema de bairro, complexos empresariais, salas multiplex em shoppings. Contudo alagoanos ou “estrangeiros” ao longo das décadas realizaram trabalhos amadores ou profissionais que raramente foram para as grandes telas da salas dos cinemas locais.

Assim como não se veria os filmes, não se saberia dos detalhes de produções, sobre seus realizadores ou das histórias que tinham para contar. Os esforços de José Maria Tenório Rocha, que realizou a cartilha Subsídios à história da cinematografia em Alagoas (1974), e Elinaldo Barros, com os livros Panorama do cinema alagoano(1983), Cine Lux – Recordações de um cinema de bairro (1987) e Rogato – A aventura do sonho das imagens em Alagoas (1994), junto aos recortes de jornais representam um vestígio do que os mais interessados conseguiram registrar.

Poucas vezes foi possível destacar grandes produções em Alagoas. Os que sonharam grande, porém, permitiram-se registrar imagens, personalidades e histórias de precariedade e irreverência que merecem ser reconhecidas por quem aprecia a arte.

Este catálogo tem a intenção de dar mais um passo contra o esquecimento e a escassez de informações sobre o assunto. É um convite a conhecer e revisitar dados das produções alagoanas, com o objetivo de complementar as informações encontradas em Panorama do cinema alagoano e disponibilizar as informações das produções realizadas depois de sua publicação. Tem como maior colaborador o autor de Panorama, Elinaldo Barros, através de entrevistas e da 2ª edição de Panorama publicada em 2010.

Este material foi dividido em fases que na prática eram capítulos da versão impressa do catálogo.

PRIMÓRDIOS

1920 à 1973. Reune todas as realizações do fotográfo italiano Guilherme Rogato, primeiro que se aventurou a documentar em película em Alagoas.  A passagem do cineasta pernambucano Edson Chagas. E algumas iniciativas caseiras.

FESTIVAL DE CINEMA DE PENEDO

1975 à 1982. Encontra-se as produções que foram realizadas antes do Festival de Penedo e todos os filmes que participaram das oito edições do Festival.

EDITAIS

2004 até atualmente. Apresenta as produções realizadas através do editais DOCTV, Revelando os Brasis, Prêmio de Incentivo a Produção Audiovisual Alagoana e Prêmio Guilherme Rogato.

MOSTRA SURURU

2009 até atualmente.

FESTIVAL UNIVERSITÁRIO

2011 até atualmente.

Sobre Larissa Lisboa
Graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal de Alagoas (2008), especialista em Tecnologias Web para negócios (ebusiness), pela Fejal - CESMAC (2010), atualmente é analista em audiovisual do SESC Alagoas. Tem experiência em produção de ações formativas, mostras e documentários, e em curadoria de filmes; na análise e gestão de conteúdo online; e na catalogação de vídeos, com ênfase na produção audiovisual alagoana. Idealizadora e coordenadora do Alagoar (site sobre o audiovisual alagoano) e Diário Refletido (comunidade fotográfica).

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será divulgado


*